Avaliamos o cenário de distribuição de apoio dos Governadores dos 26 Estados mais Distrito Federal aos candidatos à Presidência da República. Líder de alianças, o PT figura atualmente com o apoio de nove estados, seguido por Geraldo Alckmin que tem 7, Henrique Meirelles com cinco, Ciro Gomes com quatro. Dois Governadores ainda não declararam apoio a nenhum candidato.

Merece inicial destaque o Estado do Espírito Santo, que tem como Governador Paulo Hartung (MDB) e Alagoas, sob o comando de Renan Filho (MDB). Apesar de pertencerem à mesma sigla de Henrique Meirelles, os dois Governadores não demonstram simpatia ao candidato e podem declarar apoio a outros candidatos durante a disputa eleitoral. Nesse sentido, Renan Filho tem demonstrado proximidade com Ciro Gomes e especula-se sobre a possibilidade de uma futura conexão de Hartung com Geraldo Alckmin.

Além disso, chama atenção o cenário nos Estados da Paraíba, Pernambuco e Sergipe. Os Governadores, Ricardo Coutinho (PSB), Paulo Câmara (PSB) e Belivaldo Chagas (PSD) respectivamente, apesar de não integrarem a coligação de Lula (PT), declararam apoio à candidatura do ex-Presidente, que tem a possibilidade de ser rejeitada pela Justiça Eleitoral.

Nesse cenário, o apoio de Belivaldo, Governador de Sergipe, à chapa do PT causa bastante estranheza no cenário político, uma vez que seu partido, o PSD, integra formalmente a chapa de Alckmin para à Presidência da República. Chagas não só teria declarado apoio a Lula como já teria participado de eventos ao lado de Fernando Haddad, candidato à vice-Presidência e nome tido como o “Plano B” do PT caso a Justiça Eleitoral indefira a candidatura de Lula. 

Por fim, o apoio obtido por Ciro Gomes junto aos Governadores Rodrigo Rollemberg (PSB) do Distrito Federal e Marcio França (PSB) do Estado de São Paulo, também foi recebido com bastante surpresa.

O PSB, sigla disputada com afinco para coligações no período pré-registro das candidaturas, declarou que deve permanecer independente quanto apoio a candidatos à Presidência, no entanto, a orientação não inviabilizou possíveis alianças estaduais entre Governadores e candidatos.

O apoio de Marcio França à Ciro Gomes, embora não esteja completamente consolidado, pode ser observado como uma derrota para Geraldo Alckmin que deixou o Governo do Estado de São Paulo em meados de abril e havia saído com uma boa relação com França, que figurava até então como seu vice. 

Confira abaixo o cenário consolidado do apoio dos Governadores aos candidatos à Presidência da República: